A cidade é pequena para nós 2

Um tempinho desde que eu anunciei algum rolé por aqui, pois bem; vá pra esse, vai valer a pena. Nada mais atraente para uma noite de quinta feira, véspera de feriado, que um rolé com gente suja ouvindo barulheira alta bagaraio num pico infernoso qualquer. E ainda rola uma “campanhazinha” onde quem for de bike e chegar nas pressas leva um CD ai de brinds, super válido. Quem for ao rolé e não sacar muito do que pode rolar por lá se prepare pra ver um combo com algumas das bandas mais hypes do hardcore nordestino atuais, dizem ainda que talvez role rango vegan nesse rolé ai; além das clássicas banquinhas de coisas pra vender.

12048_429504767138429_1693072920_n

Anúncios

Cätärro e Insônia

Caso você não esteja por dentro do fato da Cätärro ter lançado uns sons novos, tá na hora de rever quais coisas ler na internets: sério. Enfim, Insônia; o trampo novo; é um epzinho/prévia/amostra grátis do novo material deles que tá chegando por ai e tudo mais. O lance foi gravado numa tijolada só, pelo meio de 2012, no Limbo Estúdio, sob a tutela do Rato Branco: o mesmo doidão que já gravou coisa do Facada. E tá sendo mixado e masterizado nas gringas por gente famosa e tudo mais, se você gosta de coisas como Capitalist Casualties, Limp Wrist e Toxic Holocaust, pode esperar coisa boa, um lusho só. A previsão de lançamento é pra agosto do ano corrente e dá pra ouvir o Insônia inteiro e ter uma idéia da desgracência que vai ser no bandcamp da banda.

Mas ai a sua espaçonave acabou de chegar na terra e não sabe de que banda se está falando… A Cätärro faz aquele Power Violence jovem e gritado, com doses fortes de ironia e coisa e tal… meio que a escola do Spazz: é bom, vá por mim. Essa capinha descoladamente com cara de “rascunho no guardanapo” foi feita pelo desocupadíssimo Fernando, membro da Cabala do Alicate Invertido, roqueiro, tatuador e sabe-se lá mais o quê e poderia ser elaborada como um coisa pra você pregar na sua parede, eu acho.

Supimpa e meio ver um lance novo depois de um hiato gigantesco deles, ainda mais legal é saber que logo mais vem tour de divulgação do lance também… 2013 promete, promete.

Traitor Kvlt – Traitor Kills

E vamos lá com a primeira recomendação de banda do ano e blábláblá

Dessa nova leva Dark Hardcore, donde parece que 80% das coisas surgidas são de “muito boas” pra lá, vem a Traitor: mais um nome pra você acrescentar ai na lista de “o que escutar quando estiver a fim de pegar uma faca e dar um rolé homicida traquili pela vizinhança”. É pura essência ruim indo direto pros seus tímpanos, o que é muito bom. Visualmente a banda saca como se vender, principalmente fazendo parte dessa leva mais obscura de bandas “ruins” surgidas recentemente. É só dar uma olhada pros materiais de divulgação, capas, cartazes e merdas do tipo, que dá já pra ter uma noção do que se pode esperar.

Imagem

Rapidamente olhando as fotos você saca uns X na mão de alguns membros da banda e toda aquela vibe “caras brancos com alargadores enormes tocanado de moletom”, mas eu diria que isso não é motivo pra se assustar: ao menos não inicialmente. O lance parece ser tranquilo, bem; não muito… pois não é Björk, né? As letras, pelo menos do trampo mais recente, surpreendentemente ficam naquele clichê de serem mais amorosas/depressivas que qualquer coisa que seu avô escutava na vitrolinha… é só fossa, das pesadas.

A banda é meio nova, Michigan – 2010 pelo que sei, e já possui alguns lançamentos, além de prometer mais 2 splits pra 2013; com Tharsis They e Barckin Backwards respectivamente. Acho que são coisas pra se esperar ansiosamente, quase roendo as unhas. Em novembro de 2012, saiu um trampo deles chamado Shadowheart, o qual quase tem nome de videogame, mas vá por mim, é só deleite e dá pra escutar o lance inteiro no Bandcamp. O último som do Shadowheart teve colaboração de um amigo deles, Tyler Priest, fazendo uma linha no piano que arranca choro de cadáver. Acho que tô começando a pirar em coisas com piano, indo da Pig Destroyer à Mouse on The Keys. O  resto, é só raiva e gritaria da melhor forma que pode haver.